E é claro que quando falamos de relações (assim como tudo o que existe no mundo), nem tudo é mar de rosas, ou melhor, nem tudo é luz…

Se não estamos bem com nós mesmas, ancoradas em nossos valores e verdade, fica fácil de se perder numa relação. Não que nós não nos perdemos quando estamos ancoradas, mas a grande questão é que temos para aonde voltar quando a troca da relação cessa.

Como eu disse, a cada troca, a cada relação, não somos mais a mesma. Mas se não tivermos para aonde voltar depois que essa troca/relação acaba, a situação fica difícil.

São nessas situações que realmente nos perdemos no outro e assim, perdemos o nosso eu, quase que a nossa identidade. Já falei aqui antes, mas repetirei: para que exista o nós, é preciso que antes exista o eu e o outro (tu).

E algo muito importante que não posso deixar de dizer: Quando estamos ancoradas em nossa verdade, podemos dizer não para relações desarmônicas e abusivas sem culpa ou medo, pois temos a consciência do que de fato no alimenta como alma e daquilo que nos priva de ser quem somos e de pulsarmos a nossa verdade.

Camila Alves

#mulhercósmica #mulherescósmicas #femininosagrado #espiritualidadefeminina #terapiadamulher #saúdedamulher #harmonia #equilíbrio #consciência #plenitude #prazer #paz #ascensão #círculodemulheres #mulher #mulheres #autoconhecimento #autorealização #manifestaçãodaessência #expressãodaalma #theaterapia #saberesfemininos

Pin It on Pinterest